colunista

Lorena Dias

É jornalista e blogueira. É repórter da TV Aratu e escreve para o Mais Região às quartas, a cada duas semanas.
Publicada em 11/05/17 14:53

Retalhos

Lorena Dias
Compartilhe
Venho de uma família de acumuladores. Meu avô acumulava peças e ferramentas que acreditava que um dia poderiam ser úteis para o conserto de alguma coisa dentro de casa. Quando ele morreu, foi mais difícil do que pensávamos nos desfazer de suas inutilidades. Ainda hoje, na garagem da minha avó, estão os potes de parafusos enferrujados e de tamanhos variados, que não sei se algum dia serão utilizados.

Minha mãe herdou o hábito, porém com papéis e livros. Vez ou outra, quando ela decide arrumar o quartinho onde acumula seus papéis, a observo relembrando de vô Arnaldo. Na sua arrumação, também a vejo se lamentar pelos papéis destruídos pela passagem do tempo, traças ou de algum
rato curioso e faminto. Anotações, avaliações, recordações e livros destruídos são levados em sacos pretos pelo caminhão de lixo. Mas a coleção nunca diminui, pois ela continua a acumular seus papéis.

Porém, de todos os acumuladores da minha família, o melhor exemplo é o da minha avó. Ela é costureira e, na salinha ao lado da garagem, junto às linhas, agulhas e máquinas de costura, acumula retalhos de tecido. Lembro que, na minha infância, meu cobertor preferido havia sido produzido por suas mãos enrugadas com alguns dos mais coloridos desses retalhos.

Não fugi da herança familiar e confesso ser também uma acumuladora. Mas o que guardo são histórias e emoções. Assim como os parafusos enferrujados do meu avô, algumas são inúteis e só fazem ocupar espaço. Outras foram destruídas pelo passar do tempo e dos ratos, bem como os papéis da minha mãe. Porém, em sua maior parte, eu as guardo em pedaços. E é por isso que sigo o exemplo da minha avó: uno os retalhos num colorido cobertor, que costuma me aquecer nas noites mais frias.

Comentários

AVISO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie através do nosso whatsapp 71 99663.6360 ou do email [email protected] Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal. TERMOS DE USO

mais notícias » Leia também

Publicidade
Publicidade