Menos da metade da população matense se vacinou contra gripe (Foto: Ilustrativa)

Os matenses que ainda não se imunizaram contra o vírus da influenza (H1N1), ainda estão em tempo de participar da campanha de vacinação no município. De acordo Coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Fátima Grande, a campanha iniciou no dia 17 de abril e menos da metade da população se vacinou contra o vírus.

O objetivo da Campanha Nacional, promovida em parceria com governo municipal, através da secretaria de Saúde é imunizar o público alvo e evitar que o vírus se alastre, principalmente, agora no período chuvoso. “O mais importante é que a população se sensibilize e se dirija aos postos de vacinação, antes que chegue o inverno - período de maior probabilidade das pessoas adquirirem a gripe", sinaliza Fátima Grande.

A temporada de imunização segue até o final do mês, 26 de maio, e as doses podem ser encontradas em todas as Unidade do Programa de Saúde da Família (PSF).

A secretaria de Saúde alerta ao morador que não tiver condições de se dirigir até um posto de saúde, que o mesmo solicite do setor de vigilância Epidemiológica, o atendimento móvel. E a unidade móvel de saúde será deslocada até a localidade desejada. 


Público Alvo

-Crianças de 6 meses a menores de 5 anos;
-Gestantes;
-Puérperas;
-Trabalhador de saúde;
-Povos indígenas;
-Indivíduos com 60 anos ou mais de idade;
-População privada de liberdade;
-Funcionários do sistema prisional;
-Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis;
-Pessoas portadoras de outras condições clínicas especiais (doença respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica, doença neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias).

Comentários

AVISO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie através do nosso whatsapp 71 99663.6360 ou do email [email protected] Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal. TERMOS DE USO

mais notícias » Leia também

Publicidade
Publicidade