Major Mauro Araujo e Delegado Euvaldo Costa. (Foto: Arquivo Mais Região)
Após repercussão de um suposto 'toque de recolher' no bairro do Caboré, no inicio da tarde terça-feira (8), autoridades policiais de Mata de São João se pronunciaram sobre o assunto, que até fez pais de alunos da Escola Municipal Elias José retirarem seus filhos mais cedo da unidade. 

O comandante da 53ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), Major Mauro Araújo e o delegado titular de Mata de São João, Euvaldo Costa, negaram a existência do 'toque de recolher' no Caboré. Eles informaram que não foram registradas ocorrências até o momento e classificaram o fato como boato.  

Euvaldo Costa disse que a 'Polícia Civil está apurando para saber de onde surgiu a informação que acabou assustando os moradores do bairro'.

O major Mauro Araújo tranquiliza a população e ressalta que 'a PM tem intensificado as ações em toda a cidade para que Mata de São João continue reduzindo o numero de homicídios, que no primeiro semestre colocou o município em 1º lugar em redução na RMS". 

O comando da 53ª informa que chegou a reforçar o policiamento na região apenas para mostrar a população que a PM está presente e no controle. Policiais da Rondesp estão na cidade há alguns dias, cumprindo rotina normal. 

A secretária municipal de Educação, Maricélia Rodrigues (Boneca) informou ao Mais Região que não houve orientação da Seduc para a direção da Escola Municipal Elias José no Caboré suspender as aulas, e que os pais que resolveram buscar os filhos após o boato. "A gente não suspendeu as aulas não. Os pais foram buscar, porque ficaram inseguros", destacou. 

A informação do suposto 'toque de recolher' foi rapidamente compartilhado em grupos de WhatsApp. Alguns áudios obtidos pelo Mais Região há contradição nas informações. 


Comentários

AVISO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie através do nosso whatsapp 71 99663.6360 ou do email [email protected] Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal. TERMOS DE USO

mais notícias » Leia também

Publicidade
Publicidade