Tréllez e Neilton têm presença confirmada no ataque do Vitória (Foto: Maurícia da Matta / EC Vitória)
De bate-pronto e sem mistério: Fernando Miguel; Caíque Sá, Kanu, Bruno Bispo e Juninho; Ramon, Uillian Correia, Patric e David; Neilton e Santiago Tréllez. O técnico Vagner Mancini confirmou o time do Vitória que encara o Avaí, neste sábado (12), às 19h, no Barradão, na abertura do segundo turno do Campeonato Brasileiro.

Jogo rápido, sem firulas. E é assim que Mancini quer ver a equipe em campo. “O Avaí fez poucos gols, mas não podemos levar isso muito em conta porque a equipe foi muito alterada. De qualquer forma, é importante estar atento. Pelo nosso lado, estou focado no que o Vitória tem que fazer, que é essa recomposição muito rápida. Como vamos jogar pra cima, acabamos deixando espaços. O que temos que fazer é recompor rápido para que esses espaços sejam ocupados, que essa recomposição seja mais rápida do que as ações do Avaí”, explicou.

Realmente, bola na rede não é o forte do adversário do Vitória. Em 19 jogos, o Avaí, dono do pior ataque do Campeonato Brasileiro, só conseguiu marcar dez gols. O Leão marcou mais que o dobro: 21.

Apesar da disparidade, a situação na tabela é bem parecida. Hoje, o Vitória ocupa a 18ª posição, com 19 pontos, enquanto os catarinenses vêm logo abaixo, na vice-lanterna, com 18. 

Isso porque o Leão também tem uma deficiência grave: é o pior mandante da Série A. O  Vitória conquistou só oito dos 30 pontos disputados em casa no primeiro turno (26,7%).

O confronto de hoje se enquadra no perfil do chamado jogo de “seis pontos”, ainda mais que um triunfo fará o Leão dormir fora da zona de rebaixamento. Se vencer, vai a 22 pontos, em 16º lugar, e ficará na torcida para que o São Paulo não ganhe do Cruzeiro domingo (13), no Morumbi. Caso o tricolor paulista tropece, o Leão ainda ficará na dependência da Chapecoense, só que a partida do time catarinense contra o Corinthians foi adiada para o dia 23.

Como o “secador” só vai fazer sentido se o rubro-negro fizer sua parte, Mancini quer aproveitar o clima de motivação entre os atletas após duas vitórias e um empate nos últimos três jogos. “O que estamos vivendo faz parte de uma reação que os jogadores tiveram em sete dias. Gerou uma motivação. Mas tenho alertado que essa motivação tem limites. Temos que estar confiantes, mas atentos a todas as armadilhas. E o Avaí é uma delas. Está perto da gente, e não podemos piscar os olhos. Qualquer vacilo, podemos perder pontos”, alerta.

Desde que o treinador assumiu, o Vitória empatou por 0x0 com o Cruzeiro, no Mineirão, venceu a Ponte Preta por 3x1, no Barradão, e, na rodada passada, derrotou o Flamengo por 2x0, na Ilha do Urubu. 

Inimigo íntimo
O Avaí é um time que o técnico Vagner Mancini conhece bem. Ele treinou a Chapecoense neste ano, e as equipes se enfrentaram cinco vezes pelo Campeonato Catarinense. 

“Tive a oportunidade de jogar cinco vezes contra o Avaí no Catarinense. É um time que oscilou ao longo do ano. Começou bem, ganhou o primeiro turno, depois teve uma queda no segundo. Faz bons jogos, mas não repete boas atuações. É um time recheado de bons jogadores, com um técnico que está há mais de um ano. Vitória vai ter que ter um jogo consistente, na velocidade, porque é um time que se fecha bem e obriga o adversário a entrar pelo meio e daí roubam a bola. Vamos estar atentos a isso aí”, explicou Mancini.

Comentários

AVISO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie através do nosso whatsapp 71 99663.6360 ou do email [email protected] Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal. TERMOS DE USO

mais notícias » Leia também

Publicidade