Luciano foi espancado e teve morte encefálica. (Foto: Reprodução)

Os três garis envolvidos na morte do empresário Luciano Rodrigues Vieira, de 43 anos, se apresentaram na noite desta segunda-feira, 11, na 16ª Delegacia Territorial (DT/Pituba), acompanhados de um advogado. O motorista do caminhão da coleta também foi levado por policiais à delegacia para prestar depoimento. Os quatro tiveram a prisão temporária decretada.

Imagens das câmeras de segurança instaladas na rua Engenheiro Adhemar de Fontes, onde Luciano foi encontrado caído, mostram o momento em que o caminhão da coleta de lixo para próximo ao empresário. Em seguida, os trabalhadores se aproximam dele e iniciam a agressão.

De acordo com a delegada Maria Selma Lima, titular da 16ª DT, o motivo das agressões foi o fato do empresário ter reclamado após o caminhão passar muito perto dele, o que iniciou uma discussão. O motorista do veículo afirmou que não socorreu a vítima porque não poderia parar a coleta do lixo.

Após ser encontrado na calçada, Luciano foi socorrido para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas teve morte encefálica no sábado, 9. Os órgãos dele foram doados.

Segundo o delegado Lúcio Ubiracê, plantonista do posto policial do hospital, a vítima foi vista pela última vez por volta de 22h30 de sexta-feira, 8, no Bar Preto, na Pituba. 

O corpo do empresário foi sepultado na tarde desta segunda, no cemitério Jardim da Saudade.

Comentários

AVISO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie através do nosso whatsapp 71 99663.6360 ou do email jornalismo@maisregiao.com.br. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal. TERMOS DE USO

mais notícias » Leia também

Publicidade