Prefeitura de Mata de São João vai contratar seis agentes de salvamento aquático (Foto: Ilustrativa)

Neste final de semana, as praias de Imbassai e Santo Antonio, no litoral de Mata de São João, passaram a contar com salva-vidas voluntários, contratados temporariamente pela prefeitura. Os dois locais são os que os que mais registram afogamentos no município. 

Até a realização do processo seletivo simplificado, via Reda, que deve ocorrer ainda este mês, os agentes voluntários ficarão a disposição dos banhistas.

No inicio do mês, a prefeitura autorizou a contratação de seis agentes de salvamento aquático e 30 agentes de apoio para o Projeto Verão. A Lei 713/2018 do executivo foi encaminhada à Câmara Municipal no inicio do mês, dia 6, e votado na última terça-feira (11). 

Após o Reda, os selecionados serão contratados por cinco meses para atender à necessidade do período da alta estação.

O executivo destacou que as contratações dos salva-vidas foram solicitadas à Câmara antes da morte por afogamento de um jovem em Imbassaí, no dia 8 deste mês. 

Para o coordenador da Segurança Municipal, George Chimada, a contratação dos profissionais visa garantir a segurança dos banhistas. "A contratação dos salva-vidas em nosso litoral  tem o objetivo de preservar a vida. Nós sabemos que nossas praias possuem correntezas, algumas praias são violentas. Já instalamos algumas placas, sinalizando aos banhistas que alguns locais específicos não são propícios para banho", ressalta.


null                                        Tarcio Washington, 21 anos (Foto: Reprodução/facebook)


Morte - Tarcio Washington, 21 anos, morreu afogado na Praia de Imbassai. O corpo do rapaz foi encontrado dois dias depois em Praia do Forte, próximo ao Resort Iberostar.

O resgate foi auxiliado por moradores de Imbassaí que estavam trabalhando nas buscas desde o dia do afogamento. 

O jovem estava na companhia de quatro colegas quando se afogou. Um dos amigos, que tentou o salvar, por pouco não se afogou também. No mesmo dia, um helicóptero do Grupamento Aéreo da Polícia Militar (Graer) sobrevoou a região, mas não conseguiu localizar o corpo do jovem.

Tarcio estava passando o feriadão com os amigos em Imbassai. Ele residia no bairro do Baixio, no centro da cidade.


null


Mobilização - Desde o ocorrido, moradores, comerciantes e líderes de Associações em Imbassí realizaram alguns protestos pedindo que a prefeitura invista na segurança dos banhistas e construção de um posto de salvamento.

Segundo dados contabilizados por moradores, em 2017 foram registrados oito mortes por afogamentos e em vários outros casos as vítimas foram resgatadas com vida no mar em Imbassaí. Os números revelam que os afogamentos são frequentes na localidade, principalmente durante a alta estação – quando o litoral matense recebe o fluxo maior de turistas.

O morador de Diogo, Denival Cerqueira, em conversa com a reportagem do Mais Região, falou que esteve em um curto período trabalhando como salva-vidas voluntário. “Esses números foram os que nós moradores contabilizamos em 2017. A situação é muito séria e a população pede que a prefeitura contrate os profissionais para que o combate a essa estatística seja feito diariamente”, afirma.

De acordo com o diretor de eventos culturais em Imbassai, André Moura, a cobrança por profissionais fixos no local é uma discussão antiga, pois na praia nunca existiu salva-vidas contratados. “Já fizemos várias cobranças e retomamos o tema diversas vezes e o máximo que conseguimos foi a presença de salva vidas em um curto período no verão. Inclusive, a manifestação que ocorreu foi a partir de uma cobrança que as associações fizeram junto a administração pública, em que na época foi dito que a cobrança deveria ser de toda a comunidade”, ressalta.


null

Comentários

AVISO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie através do nosso whatsapp 71 99663.6360 ou do email jornalismo@maisregiao.com.br. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal. TERMOS DE USO

mais notícias » Leia também

Publicidade
Publicidade