Ex-funcionário também foi preso por esquema de fraude em Juazeiro (Foto: Divulgação)

O coordenador da 8ª Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran/Juazeiro), Ítalo José dos Santos Souza, e o ex-funcionário do órgão, Jair Santos Santana, conhecido como Begue, foram presos pela polícia na manhã desta quinta-feira (11), acusados de cometer diversas fraudes envolvendo veículos apreendidos. Eles vão responder por corrupção ativa e passiva, peculato, concussão, furto, inserção de dados falsos em sistema oficial e falsificação de documentos públicos.

De acordo com a polícia, a investigação da operação Trânsito Livre foi iniciada no final de 2017, quando foi constatado que 19 veículos haviam desaparecido do pátio do órgão, sem que houvesse sinais de arrombamento no prédio. Foi então que a Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Juazeiro e o Ministério Público passaram a investigar o que estava ocorrendo. 

Ao longo das investigações foram recebidas denúncias de populares que afirmaram ter conseguido liberação de veículos, mesmo com restrições  administrativas, como IPVA atrasado ou multas, mediante o pagamento de propinas a funcionários para obter a liberação de veículos. 

Ainda de acordo com a polícia, mesmo com restrições, veículos apreendidos pelas polícias civil e militar que estava na sede do órgão eram furtados do pátio, legalizados e depois comercializados. Segundo a polícia, o esquema era liderado por Ítalo, que acompanhava todo o desenvolvimento das ações, sendo responsável pela expedição dos documentos fraudados, os quais eram por ele assinados e também era quem tinha a chave do pátio onde os veículos eram guardados.

Já Begue, que trabalhava no setor de vistoria dos veículos da Ciretran na época das primeiras fraudes, atuava no esquema dando resultado de vistoria diferente do real, no intuito de cooperar com a atuação fraudulenta. 

"Três dos 19 carros foram vendidos e voltaram para o Detran para ser regularizados", explica o promotor Raimundo Moinhos, coordenador regional das promotorias de Juazeiro. "Existem mais mandados para serem cumpridos, mas as pessoas ainda não foram localizadas". Os dois funcionários foram presos em casa, seguiram para fazer exames de lesão corporal e seguem para audiência de custódia. De lá, devem seguir para o Conjunto Penal de Juazeiro. 

Além da prisão dos dois, foram cumpridos mandados de busca e apreensão na casa dos envolvidos e na sede do órgão. Foram apreendidos diversos documentos de transferência de veículos, computadores e valores em dinheiro nas residências do coordenador e do vistoriador, além de  vários documentos e computadores na sede do órgão.

Segundo o Detran, o órgão já estava fazendo uma sindicância que culminou com a operação policial. O coordenador será exonerado do Ciretran.

Comentários

AVISO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie através do nosso whatsapp 71 99663.6360 ou do email jornalismo@maisregiao.com.br. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal. TERMOS DE USO

mais notícias » Leia também

Publicidade
Publicidade