Em 2020, o modelo deve mudar: todas os conteúdos originais já serão lançados de forma gratuita. (Foto: Divulgação)

O YouTube anunciou, que vai liberar os seus conteúdos originais a partir do próximo ano. De acordo com o Google, a ideia é que as produções estejam disponíveis gratuitamente para os dois bilhões de usuários da plataforma ao redor do mundo. No lugar da assinatura, a empresa pretende monetizar os programas e séries com anúncios.

De acordo com a publicação da Variety, a liberação do conteúdo original ocorrerá em fases. Ao longo de 2019, alguns dos programas já disponíveis na plataforma serão liberados em “janelas de gratuidade” para todos os usuários do serviço. Já as novas produções, incluindo a segunda temporada de Cobra Kai, ainda permanecerão exclusivas para assinantes.

Em 2020, o modelo deve mudar: todas os conteúdos originais já serão lançados de forma gratuita. Com essa mudança, a expectativa do Google é que as produções alcancem uma maior audiência, atraindo novos criadores e gerando renda com a veiculação de anúncios.

Lançado em 2015, os conteúdos originais eram um dos principais atrativos para os planos pagos do YouTube Red/Premium. As atrações contam tanto com programas exclusivos de grandes Youtubers como com séries roteirizadas de diretores renomados. Agora, com a disponibilidade dos conteúdos, os assinantes terão apenas a visualização de conteúdo offline, sem propagandas e em segundo plano como vantagens para o serviço.

Desde o lançamento dos planos, o Google nunca tornou público o número de assinantes da versão paga do YouTube. Recentemente, inclusive, a empresa trouxe os pacotes para o Brasil por R$ 16,90 na versão Music, concorrente do Spotify, e R$ 20,90 na Premium, que compete com o Netflix.

Comentários

AVISO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie através do nosso whatsapp 71 99663.6360 ou do email jornalismo@maisregiao.com.br. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal. TERMOS DE USO

mais notícias » Leia também

Publicidade
Publicidade