Facebook passa a adotar medidas mais severas com algumas questões graves (Foto: Ilustrativa)

O massacre que deixou 50 mortos e dezenas de feridos no ataque terrorista na Nova Zelândia, no dia 14 de março, chamou a atenção pelo uso indevido e descontrolado das lives em redes sociais. O assassino conseguiu exibir a chacina durante 17 minutos, ao vivo, via Facebook — e não demorou muito para o conteúdo chegar a outras plataformas, como o Twitter, o YouTube e o Reddit.

As companhias foram muito criticada, principalmente por não terem mais controle ou responsabilidade em casos como esse. Agora, o Facebook responde diretamente ao episódio com medidas que limitam as transmissões em tempo real. Até hoje, quem violasse os Padrões da Comunidade, a publicação era removida e em caso de insistência o usuário levava uma suspensão, além de veto temporário no uso do Facebook Live. Em casos extremos, ele era então banido.

“Agora aplicaremos uma política de “infração única” para o Live, em conjunto com uma gama mais ampla de ofensas. Qualquer pessoa que violar nossas políticas mais sérias será impedida de usar o Live por determinado período de tempo — por exemplo, 30 dias — a partir da primeira violação. Assim, alguém que compartilhe um link para uma declaração de algum grupo terrorista agora será imediatamente impedido de usar o Live por um determinado período de tempo”.

Comentários

AVISO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie através do nosso whatsapp 71 99663.6360 ou do email jornalismo@maisregiao.com.br. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal. TERMOS DE USO

mais notícias » Leia também

Publicidade
Publicidade