A Prefeitura local estima que cerca de 45 toneladas de óleo já foram recolhidos (Foto: Divulgação/Ascom)
Até a manhã desta terça-feira (22), cerca de 32 toneladas de óleo retirados das praias de Mata de São João já foram transportados para uma empresa de destinação e tratamento de resíduos, na região Metropolitana de Salvador. O material ficará devidamente instalado, com todas as normas de armazenamento e segurança exigidos, até que o Governo do Estado decida a sua destinação final.

A chegada de material nas praias do município reduziu drasticamente na última semana (apenas pequenas pelotas em pontos específicos). Mas a Prefeitura local estima que cerca de 45 toneladas de óleo já foram recolhidos nos seus 28 quilômetros de litoral, desde o dia 9 deste mês, quando apareceram as primeiras pelotas.


Os resíduos estavam armazenados em um local provisório, no entorno da Praia do Forte, enquanto o poder público municipal aguardava por uma decisão dos órgãos estaduais competentes. Como a decisão em relação à destinação final até agora não aconteceu, o secretário de Planejamento e Meio Ambiente Paulo Meireles conseguiu uma parceria com uma empresa de tratamento de resíduos devidamente licenciada para este fim.


O material está acomodado provisoriamente, com anuência do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema). “Não poderíamos manter estes resíduos sob os nossos domínios e responsabilidade por tanto tempo. Não temos ‘expertise’ para isso. É algo completamente desconhecido para nós”, explica Paulo Meireles.


“Mesmo seguindo todas as orientações e recomendações do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ) e do Inema, tem a questão da segurança das pessoas, do ambiente, enfim, não tem porque este material ficar em Mata de São João”, enfatiza o secretário.


Histórico – As primeiras pelotas chegaram em pontos da Praia do Forte e no Santo Antônio, no dia 9 de outubro.  No dia 11, o material chegou em grande quantidade em diversos locais. Mutirões formados por servidores da Prefeitura, moradores e funcionários de hotéis e condomínios retiraram mais de 15 toneladas de óleo das praias, não deixando que voltassem para o mar.


No dia 12, uma equipe do Centro de Defesa Ambiental (CDA) da Petrobras recrutou 20 pessoas da região e assumiu as operações na Praia do Forte e outras localidades. A partir do dias 13, um domingo, apenas pequenas quantidades de óleo apareceram em locais específicos, mas foram imediatamente retiradas pelas equipes do CDA, da Prefeitura e de populares.


No dia 15, à tarde, Imbassaí, que até então estava preservada, recebeu umas placas de óleo nas praias e no estuário do rio. Neste dia, entrou em operação, através de uma parceria com a Polícia Municipal, 30 bombeiros do 10º Grupamento Militar de Camaçari. Moradores, Prefeitura e bombeiros trabalharam para deixar tudo limpo.


Desde então, apenas pequenas ocorrências de respingos de óleo em algumas praias foram registradas. Mas a equipe de Limpeza da Prefeitura, os homens do CDA e os Bombeiros estão trabalhando intensamente para manter as praias limpas e para que as atividades turísticas aconteçam normalmente.

Comentários

AVISO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie através do nosso whatsapp 71 99663.6360 ou do email jornalismo@maisregiao.com.br. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal. TERMOS DE USO

mais notícias » Leia também

Publicidade
Publicidade