Marco Antônio segue entre os titulares e é uma das apostas do Bahia contra a Chape (Foto: Reprodução)

O momento do Bahia no Campeonato Brasileiro tem deixado o torcedor na bronca. O Esquadrão não vence há quatro jogos e viu a concorrência por uma vaga na Copa Libertadores de 2020 aumentar. Mas hoje o tricolor precisa superar todos os problemas para reencontrar o caminho das vitórias.

A partir de 21h30, o Bahia recebe a Chapecoense, na Fonte Nova, e tem a chance de quebrar o jejum na temporada e ficar mais próximo da zona de classificação da Libertadores, que hoje é G7 por causa do Athletico Paranaense, sexto colocado, e que já garantiu vaga na competição sul-americana por causa do título da Copa do Brasil.

A diferença para o G7 pode cair para um ponto. Para isso, também precisa torcer por derrotas de Internacional, que enfrenta o Ceará fora de casa, do Corinthians, que recebe o Fortaleza, e que o Goiás no máximo empate com o Atlético-MG, em Belo Horizonte. 

Além da necessidade de marcar os gols para garantir os três pontos, um triunfo tricolor sobre a Chape também vai passar pelo sistema defensivo. Ponto de equilíbrio no primeiro turno, a defesa do Bahia vive um momento de declínio.

O Esquadrão foi vazado 13 vezes em 11 jogos no segundo turno, três a menos do que levou em toda a primeira metade do torneio. Na análise do zagueiro Juninho, o time precisa corrigir os problemas de forma rápida.

“Temos que corrigir vários erros que a gente está cometendo ali atrás. Sabemos que muitos gols que sofremos foram por conta de erros nossos, coisa que não vinha acontecendo”, analisou o defensor.

“Superar é ganhando, não tem outra palavra. A torcida vai de acordo com o momento do time, e o momento não é bom. Temos que entender isso, mas não podemos nos desesperar. Temos que manter a cabeça no lugar e conquistar os três pontos”, continuou Juninho, confiante.

Rival complicado

Historicamente, a Chapecoense é uma pedra no sapato do Bahia. Em sete jogos pelo Brasileirão, o tricolor venceu apenas um, por 1x0, na Série A do ano passado. A Chape levou a melhor em três e outros três terminaram empatados. 

A situação da equipe catarinense esse ano, no entanto, é bem delicada. Com 21 pontos, o alviverde é o atual vice-lanterna do campeonato e só escapa do rebaixamento com um milagre. Ainda assim, Juninho projeta um duelo difícil e pede um Bahia ligado para não ser surpreendido. 

“Todos os jogos são difíceis, assim como foi contra o CSA e vários outros times que vieram jogar aqui. Eles estiveram abaixo da gente e foram resultados minúsculos, 1x0, 1x1, 2x1, resultados assim. Sabemos a dificuldade do jogo e temos que ficar atentos. Há duas rodadas a Chapecoense foi na casa do Atlético-MG e ganhou deles por 2x0. É um jogo para a gente ficar esperto e poder pontuar em casa”, alertou o jogador tricolor. 

Retornos

Diante da Chape, o Bahia vai ter mudanças no meio-campo. Depois de cumprir suspensão contra o Cruzeiro, o volante Gregore volta ao time. Ele vai ter as companhias de Flávio e Marco Antônio, que segue na equipe titular. Outro que continua entre os 11 é o atacante Fernandão. Gilberto fica como opção no banco de reservas.

Comentários

AVISO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie através do nosso whatsapp 71 99663.6360 ou do email jornalismo@maisregiao.com.br. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal. TERMOS DE USO

mais notícias » Leia também

Publicidade
Publicidade