Rubro-negro enfrenta o Paraná nesta sexta-feira (8), fora de casa (Foto: )

O Vitória está do jeito que Wesley Safadão cantou em seu hit “Aquele 1%”. Segundo as projeções do site Probabilidades no Futebol, vinculado à Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o rubro-negro está 99% salvo do rebaixamento à Série C.

Com 40 pontos, o Leão tem seis a mais que o Figueirense, primeiro time dentro do Z4 da Série B. A chegada de Geninho ao clube tem influência direta no bom oxigênio que o Vitória tem respirado: dos 30 pontos disputados desde a chegada do treinador, o Leão conquistou 16, um aproveitamento de 53% que foi fundamental para a escalada do time, hoje na 13ª colocação.

Para não dar margem àquele 1%, descrito como vagabundo na canção, o Vitória ainda precisa pontuar nos cinco jogos restantes. O primeiro desafio é contra o Paraná, às 19h15 nesta sexta-feira (8), na Vila Capanema, em Curitiba.

O time paranista está em quinto lugar, na cola de seu rival, o Coritiba, na busca pelo acesso à primeira divisão. Tem 50 pontos e precisa vencer o Leão para igualar o número de pontos do Coxa. 

Mas não é por isso que o Vitória deve entrar em campo com status de azarão. Pelo contrário, ao menos segundo as palavras do atacante Eron, autor de um gol no triunfo por 3x0 sobre o Brasil de Pelotas, terça-feira.

Para o camisa 33, o Vitória precisa valorizar a vantagem  que construiu em relação ao Z4 e jogar para buscar os três pontos fora de casa. “A gente tenta propor o jogo. Fora de casa, segura mais um pouco, mas sempre busca a vitória, como foi contra Ponte, CRB. A gente tem que ir procurando os três pontos porque é o objetivo sair dessa margem e tirar o Vitória dessa posição”, destacou Eron.

Histórico de equilíbrio 


O confronto entre as duas equipes é equilibrado historicamente. São 30 jogos entre Série A (15), Série B (9) e Copa do Brasil (6). Cada time ganhou 11 e houve oito empates.

A última vez que o Vitória venceu como visitante foi na Série B de 2015. O gol solitário de David, hoje no Cruzeiro, deu o triunfo de 1x0 ao rubro-negro, que conseguiu o acesso naquele campeonato.

O desempenho favorável do Paraná como mandante não parece assustar o radiante Eron. O próximo adversário do Vitória saiu vencedor em oito das 14 vezes que se enfrentaram em casa, empatou duas e perdeu quatro. 

A busca para sair logo do risco de queda supera qualquer dificuldade histórica. “A gente vem falando que cada jogo está sendo uma final, como foi contra o Figueirense, contra o Brasil, e Paraná não vai ser diferente. A gente via lá para buscar ponto. Professor Geninho está trabalhando para buscar os três pontos, para fazer 44, 45 e sair logo dessa zona incômoda”, avaliou o atacante.

Sem Wesley, que segue lesionado, Eron espera ter outra oportunidade como titular, muito devido ao bom jogo que fez contra o Brasil de Pelotas. Geninho ganhou o reforço de Jordy Caicedo, que volta de suspensão. O desfalque da vez é o capitão Éverton Sena, que levou o terceiro cartão amarelo contra o Brasil de Pelotas e cumpre suspensão. Zé Ivaldo é o substituto.

Comentários

AVISO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie através do nosso whatsapp 71 99663.6360 ou do email jornalismo@maisregiao.com.br. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal. TERMOS DE USO

mais notícias » Leia também

Publicidade
Publicidade