Dados cadastrais de proprietários precisam ser atualizados (Foto: Divulgação)

A Bahia tem, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) , 9.653.290 celulares pré-pagos habilitados. O número engloba linhas de cinco códigos diferentes (71, 73, 74, 75 e 77), que participam da terceira fase do Projeto Cadastro Pré-Pago, que visa atualizar as informações cadastrais dos usuários desse tipo de serviço. 

O prazo para que os dados sejam enviados pelos clientes às operadoras acaba na segunda-feira que vem, dia 18 de novembro. No projeto, as operadoras realizam contato com os titulares de linhas móveis pré-pagas e alertam sobre a necessidade de atualização dos dados cadastrais. Esta comunicação pode ser feita por mensagem de texto (SMS), voicer (chamada de voz gravada), ligações, pop-ups nas telas dos celulares, entre outros. 

O consumidor que receber o contato da prestadora precisará fornecer o nome completo e endereço. Além disso, no caso de pessoa física, deve informar o número do CPF/carteira de Identidade e, de pessoa jurídica, o CNPJ.  Caso o consumidor receba a notificação e não realize a atualização cadastral, terá sua linha móvel pré-paga bloqueada.

Concluído o prazo de cadastramento, a Anatel disponibilizará em seu site informações relativas ao quantitativo de cadastros irregulares de usuários pré-pagos existentes no estado do Bahia, quantas linhas foram bloqueadas, o número de cadastros atualizados e o percentual de atualização cadastral alcançado com o projeto.

As duas primeiras fases do projeto, que já foram encerradas, englobaram linhas dos seguintes estados: Goiás, Mato Grosso do Sul, Acre, Tocantins, Rondônia, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina. Nesses locais, o projeto identificou menos de 0,5% de cadastro irregulares, ao final das etapas de recadastramento.

 

Comentários

AVISO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie através do nosso whatsapp 71 99663.6360 ou do email jornalismo@maisregiao.com.br. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal. TERMOS DE USO

mais notícias » Leia também

Publicidade
Publicidade