Estádio do rubro-negro completou 33 anos na última segunda-feira (10) (Foto: Divulgação)

Barradão e Vitória têm uma ligação de simbiose. Um não existe sem o outro, e vice-versa. Afirmar que existem dois Vitórias, um antes do Barradão e outro depois, portanto, não é exagero algum. E isso também vale para a atual edição da Série B.

Na última segunda-feira (10), o estádio rubro-negro completou 33 anos e, nesta terça, o time pode jogar a última pá de cal no fantasma do rebaixamento à Série C, resolvendo de uma vez por todas o problema. Basta vencer o CRB no jogo que começa às 19h15 e, além disso, torcer por derrota do Figueirense e tropeço do Vila Nova para que o clube fique livre para pensar em um 2020 melhor.

A seu favor, o técnico Geninho tem os retornos de Chiquinho e Wesley, recuperados de lesão e, mais importante do que isso, o seu estádio. A mudança temporária para a Fonte Nova passou longe de ajudar o rubro-negro. Voltar para o Barradão parecia inevitável. Consumado, o retorno foi além e se tornou redentor: o último jogo do Vitória na Fonte Nova foi o frustrante empate em 2x2 contra o Sport, após o time sair ganhando por 2x0. A gota d’água, na Fonte, foi um banho de água geladíssima.

Foram quatro jogos no Barradão desde que foi interrompida a parceria com a Arena Fonte Nova. O Vitória venceu duas (Oeste, por 3x1, e Brasil de Pelotas, por 3x0), empatou uma (2x2 contra o Figueirense) e perdeu um único jogo, contra o Londrina (0x1).

Dos 41 pontos somados pelo clube na Série B, 24 foram dentro de casa, sendo que 22 foram conquistados dentro do Barradão. Na Fonte Nova, o time perdeu para o Guarani (0x1) e empatou com Atlético-GO (0x0) e Sport (2x2). O aproveitamento foi de 22%.

Na Toca, os números crescem. Mais precisamente, há 30% de aumento: em 14 jogos, foram seis vitórias, quatro empates e quatro derrotas. O aproveitamento vai para 52%.

Se vencer amanhã, o Vitória chega a uma marca expressiva: será o triunfo de número 450 dentro de seu estádio. O jogo contra o CRB será o de número 755 do Vitória no Barradão. São 449 triunfos, 165 empates e 140 derrotas. No Manoel Barradas, o Leão marcou 1.559 gols e sofreu outros 794.

Freguesia histórica 


O próximo adversário tem potencial para endurecer o jogo e tentar estragar a partida com potencial histórico. Isso porque o CRB é o time com a segunda melhor campanha como visitante nesta edição da Série B. O time do técnico Marcelo Cabo fez os mesmos 27 pontos que o Bragantino, só que marcou menos gols que os líderes do campeonato: 22 contra 21.

Contudo, os alagoanos nunca sentiram o gostinho de enfrentar o Vitória no Barradão e sair vencedor. Na verdade, a equipe de Maceió nunca venceu o rubro-negro fora de casa. São oito partidas, com sete triunfos do Leão e um empate. No Barradão, são cinco jogos e cinco vitórias do Leão.

A primeira vez que os dois se enfrentaram no Barradão foi na Copa do Nordeste de 1998 e o Vitória aplicou uma sacolada de 7x1. O time voltou a golear o CRB dentro do seu Santuário em 2007, no jogo que marcou o acesso à Série A. Jackson, Willians Santana (hoje no CRB), Apodi e Joãozinho marcaram os gols do Vitória por 4x1.

Doze anos depois, é o CRB quem chega ao Barradão durante busca por acesso. Para piorar, o Vitória enfrenta uma crise institucional: por conta de atrasos salariais, os atletas do rubro-negro se recusaram a fazer concentração nas dependências do clube. O acordo interno é de que todos se apresentam nesta terça (12), no horário de almoço.

Comentários

AVISO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie através do nosso whatsapp 71 99663.6360 ou do email jornalismo@maisregiao.com.br. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal. TERMOS DE USO

mais notícias » Leia também

Publicidade
Publicidade