Inquérito só será concluído após eliminação dos participantes (Foto: Divulgação)

Após Petrix, mais um brother é investigado pela Polícia Civil por um caso de assédio cometido dentro do Big Brother Brasil 20. Segundo o Extra, foi instaurado um inquérido para averiguar a conduta do hipnólogo Pyong Lee com as participantes Flayslane e Marcela Mc Gowan.

"Nós tomamos conhecimento por meio das redes sociais e da TV de que o Pyong teria tido atitudes durante a última festa que aconteceu dentro do reality que podem ser consideradas como assédio sexual. Não estou afirmando que isso aconteceu, mas vamos apurar tudo. Esse tipo de comportamento de alisar as moças sem o consentimento delas deve ser combatido dentro e fora do programa" diz a delegada Catarina Noble,

A delegada Catarina Noble, titular da Delegacia de atendimento à mulher, que investiga o caso.

Ainda de acordo com a delegada, todos os participantes envolvidos no caso do "BBB20" serão ouvidos assim que forem eliminados do jogo.

"Nós entendemos que essa espera para ouvir tanto o Pyong como as moças envolvidas não afetará a investigação. Imagino que no prazo de três meses, que é o tempo de terminar o programa, todos sejam ouvidos e a investigação seja concluída", avalia.

Relembre

Na festa do último sábado (8) o hipnólogo Pyong Lee teve um comportamento diferente do que o público esperava. Internautas acusam o brother de assediar Marcela e Flayslane. Ele chegou a tentar beijar Marcela, que o afastou várias vezes. Mesmo assim, ele insistiu. "Amanhã a gente vai conversar", disse a sister.

Depois de várias tentativas, ela foi mais incisiva com Pyong. "Pyong! Para! Tá doido? O que é isso?", repreendeu. Ele fez cara de triste e tentou de novo. Em outro momento, ele passou a mão nas coxas da ginecologista.

Além de Marcela, Pyong também apalpou a bunda de Flasylane enquanto ela dançava. O comportamento do brother chateou quem torcia por ele. 

Comentários

AVISO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie através do nosso whatsapp 71 99663.6360 ou do email jornalismo@maisregiao.com.br. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal. TERMOS DE USO

mais notícias » Leia também

Publicidade
Publicidade